Menu Principal

Até socialista El País reconhece: “Maduro consolida seu xeque-mate à democracia na Venezuela”

Quando até um jornal ultra esquerdista como El País reconhece que Maduro foi longe demais, isso deve servir para refletir sobre como é a relação de certos partidos brasileiros, tais como PT, PCdoB e PSOL, diante dos desmandos de uma ditadura escancarada.

Disse o El País:

O regime de Nicolás Maduro consumou seu plano. A escolha de delegados para uma Assembleia Nacional Constituinte, convocada com regras de jogo que favorecem o chavismo, acabará neste domingo com o Parlamento de maioria oposicionista que os venezuelanos elegeram há menos de dois anos. Ou seja, com o único contraponto ao poder no país. Trata-se de uma decisão que nem os partidos da oposição, agrupados na Mesa da Unidade Democrática (MUD), nem a pressão dos Estados Unidos, da União Europeia e de muitos países da região conseguiram impedir e que ameaça agora perpetuar a inclinação autoritária do Governo. A nova Câmara será constituída na primeira semana de agosto.

E disse também:

Maduro decidiu dar um salto no vazio. A nova Câmara reconfigurará a luta de poder dentro do chavismo e vai levar a Venezuela a enfrentar uma situação inédita em sua história contemporânea: a desconsideração quase absoluta da comunidade internacional pelas leis que essa instância aprovar. O primeiro passo foi dado pela Colômbia. O presidente Juan Manuel Santos afirmou que não reconhecerá os resultados da votação porque têm “uma origem ilegítima”. Esta circunstância deixaria o regime tão isolado como esteve certa vez a Cuba castrista, seu farol moral.

Chega a ser vergonhosa, embora não surpreendente, a atuação destes partidos brasileiros que ainda fingem não saber o que está acontecendo no país vizinho.

Compartilhe:

Deixe um Comentário

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>